sondagem rios e corregos

Sondagem socioambiental do MEP-VR demonstra preocupação da população com os rios e córregos

Entre os dias 14 e 24 de setembro, a equipe ambiental do MEP-VR realizou pesquisa sobre os corpos hídricos (rios, córregos, lagos e etc.) de Volta Redonda e cidades vizinhas. A consulta foi realizada através do Google Forms. Sabrina Arantes, acadêmica de engenharia ambiental (UNIFOA), ligada à equipe do ambiental do MEP-VR coordenou a inédita pesquisa.

— A amostragem foi significativa, 374 pessoas participaram e conseguimos chegar em mais 50 bairros de Volta Redonda, acima de 50% do total de bairros, o equivalente a 70% das respostas. As cidades de Barra Mansa, Pinheiral, Barra do Pirai, Pirai, Porto Real, Quatis, Resende e até Angra dos Reis, somaram 25 % das respostas em diferentes bairros. A participação feminina foi surpreendente, com 63.6 % das respostas. O perfil da escolaridade apontou que 74.1% concluíram o curso superior e/ou estão cursando e 25,5 % com ensino médio e/ou cursando. A faixa etária predominante ficou entre 30 a 59 anos, com 51.1 %, entre 16 a 29 anos, 25.8% das respostas e acima de 60 anos, 23.8%. —, informou Sabrina.

PERCEPÇÃO HÍDRICA DA POPULAÇÃO

De acordo com a pesquisa, sobre os rios e córregos, 86.6%, disseram conhecer todos corpos d’água da sua cidade. Quanto a qualidade dos rios e riachos, os respondentes apontaram como ruim 48.9%, péssimo com 23.4 % e regular com 23.5%. Em relação às enchentes, os desastres naturais e conservação dos corpos hídricos, 91.5 % responderam que os itens estão relacionados. Por fim, os respondentes apontaram às responsabilidades pela conservação dos corpos hídricos (no questionário podia escolher mais de um item). Pela ordem os mais indicados foram: 1. a população em geral; 2. os órgãos ambientais estadual e federal; 3. o poder público municipal; 4. indústrias e empreendimentos poluidores, 5. as Ong’s e movimentos sociais e 5. a divindade.

Para Michel Bastos, vice-diretor da equipe ambiental do Movimento, os resultados são surpreendentes: “A percepção surpreendeu-nos, precisamos cruzar alguns dados, relacionar as faixas etária e a escolaridade em relação às percepções pontuadas, para uma análise aprofundada mais.”, ponderou Michel, animado com os resultados.

NOVOS PASSOS

Fernando Pinto, Diretor da equipe ambiental do MEP-VR, cumprimentou a equipe pelo trabalho, considerou a pesquisa como uma ‘análise ecológica’ feita pela população e recomendou a continuidade do trabalho:

“Primeiramente parabenizo a equipe pelo trabalho. A pesquisa de fato foi muito interessante, pois de certa forma é uma análise, uma ‘avaliação ecológica’ feita pelos cidadãos comuns das cidades da região do médio paraíba. Os olhares das pessoas para os corpos d’águas nos seus bairros, trouxe à tona um resultado muito interessante.”

— A divulgação do resultado para toda sociedade e continuidade do trabalho, com debates, seminários, novas pesquisas tendem a agregar mais pessoas no engajamento social. É muito importante a população conhecer o ambiente, saber e buscar reivindicar melhorias —, concluiu o Diretor.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.