pesquisadores UFRRJ pedreira da voldac

MEP-VR apresentará trabalho no 10º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) realiza o 10º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade (SIGABI), entre os dias 09 a 11 de novembro de 2021, via plataforma digital. O SIGABI é voltado para alunos de graduação, especialização e pós-graduação, professores, pesquisadores e profissionais da área ambiental, e tem como objetivos principais a divulgação dos resultados de pesquisas, o intercâmbio de ideias, a inserção de novos talentos na comunidade científica e a integração de profissionais, pesquisadores e estudantes engajados na conservação dos recursos naturais, criando novos laços profissionais e/ou fortalecendo parcerias. Além de fortalecer o papel da UFRRJ como geradora e divulgadora de conhecimento científico no interior Fluminense, mais precisamente na região Centro-Sul Fluminense.

O MEP-VR, por meio da Coordenação Ambiental, apresentará um trabalho científico, escrito por membros da equipe, relatando as experiências cidadãs realizada na Pedreira da Voldac no 9 de novembro, entre 13:30 às 16h. O trabalho com título – “Proposta de Criação de uma Unidade de Conservação Municipal através da valorização Cidadã em Volta Redonda-RJ”, será apresentado por Fernando Pinto, doutor em biologia e Diretor da Coordenação Ambiental do Movimento.

“Nossa participação, acredito seja dar um caráter científico a uma proposta popular. E que sirva como exemplo para iniciativas semelhantes em outras cidades do país, visto que o evento tem um alcance nacional, e o trabalho será publicado nos Anais do Simpósio podendo ser acessado por diferentes mecanismos de busca via Web.”, disse Fernando.

FUTUROS GEÓLOGOS DA UFRRJ VISITAM A PEDRERA DA VOLDAC

A Pedreira da Voldac, tem recebido constantemente visitas de cidadãos, Ongs e também de pesquisadores de diferentes áreas de conhecimento. Matheus Henrique e Victor Fernandes, acadêmicos de geologia na UFRRJ, 9º e 10º período respectivamente, realizaram dia 30 de outubro trabalho de campo na pedreira. Matheus, pela 3º vez no local, realizou observações e coletou amostras para complementação do TCC que aborda a ‘geodiversidade da pedreira e suas potencialidades sociocientíficas’: “O trabalhos está quase pronto, eu precisava de alguns parâmetros do local e também de amostras mais significativas do paredão rochoso, daí convidei o Victor para ajudar-me.”, disse Matheus. Victor, pela 1º ela primeira vez na pedreira ficou encantado: — A magnitude da pedreira foi a minha grande surpresa! As características das rochas, a beleza cênica e outros fatores favorecem o incentivo à proximidade das pessoas, estudantes. O local pode se transforma, sim, em espaço para divulgar conhecimentos. —, comentou Victor.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.