reuniao pedagogica novembro

Educadores do Pré-Vestibular Cidadão planejam ações para 2022

Os educadores voluntários do Pré-Vestibular Cidadão (PVC) participaram no sábado (20) do encontro pedagógico de fim de ano. Na pauta, debateu-se a avaliação das ações socioeducacionais de 2021 e as definições para o ano de 2022. Nirlene Pirassol Tepedino, coordenadora da equipe pedagógica do MEP, na saudação aos presentes agradeceu a dedicação e o comprometimento de cada professor(a) pelo trabalho realizado em 2021. — Sabemos que na reta final do ano, todos professores estão cansados. Contudo, vocês estão aqui. A dedicação e comprometimento de vocês para com a educação eleva e valoriza o trabalho do pré vestibular, agradecemos. —, disse a pedagoga ao iniciar a reunião. 

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Na referência do Dia da Consciência Negra, a Comissão Étnico Racial do Movimento, representada por Samuel Ezequiel e Marcele Lopes, apresentaram dados sobre o trabalho realizado pela comissão, e também reflexões sobre o dia 20. A profa. Marcele, também ligada à equipe pedagógica, destacou a parceria MEP-DPU (Defensoria Pública da União em Volta Redonda). O prof. Samuel, em sua preleção, teceu reflexões sobre a data. 

INDICADORES PARA 2022: RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS

Na sequência, sempre acrescida de observações dos presentes, Davi Souza, conselheiro do MEP-VR, apresentou indicadores para os trabalhos socioeducacionais para 2022.  — A ideia é iniciarmos em fevereiro de 2022 com um encontro de trabalho já com alguns dados dos professores para o trabalho presencial. —. Diante do quadro os presentes, reagiram e pontuaram alguns indicadores a serem encaminhados pela equipe pedagógica. 

NATAL DOS EMPOBRECIDOS

Caminhando para a finalização do encontro, a professora Nirlene, apresentou a proposta para que os professores fizessem doações à Comunidade Eclesial Santo Antônio e também à comunidade São Vicente de Paulo (Retiro), espaços onde os trabalhos do MEP-VR são acolhidos.

“A ideia é fazermos entre nós uma campanha de doações de gêneros alimentícios ou outras formas, e encaminhar às direções das duas comunidades. Há uma realidade de empobrecimento e as pessoas batem às portas destas instituições. Será um gesto solidário à tantos que não têm o que comer.”, disse Nirlene. 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.